2 de nov de 2008

...você vem sempre aqui?


Claro que, como bom fã de tecnologia e bons serviços, me entusiasmei com a chegada de mais uma operadora de telefonia em SP. Até passei, dia desses, na loja linda que a Oi montou no Bourbon Pompéia, pra saber como ia ser a política de planos de dados deles. A mocinha me informou super simpática que, por enquanto, só iam trabalhar com a promoção de três meses de graça... frustrante, mas compreensível. A empresa quer uma base de clientes consolidada na sua estréia real, no início do ano.

A outra face da chegada da Oi é um tanto quanto bizarra. A campanha por desbloqueio de aparelhos da empresa transformou diversas estações de metrô de SP. Agora é comum encontrar, logo depois do bloqueio do Metrô, uma fila gigantesca de gente atrás do desbloqueio gratuito do seu celular, e sabe-se lá mais o quê (Não podemos esquecer que estamos em São paulo, as pessoas entram numa fila por razões que a própria razão desconhece). Feio e prejudicial pra imagem da empresa, se alguém perguntar minha opinião. Chego numa cidade de 11 milhões de habitantes com uma campanha agressiva de melhores serviços, tratamento descente (que, todo mudo sabe, seria um diferencial no meio das operadoras de celular) e simplicidade "assim", mas o primeiro impacto no cotidiano da cidade é fazer-nos conviver com mais uma fila, o símbolo da burocracia e complicação por excelência.

O único lado bom: Quando marco um encontro no metrô tenho uma referência boa pra dar: "15h, no fim da fila da Oi". desde o fim dos quiosques da Nestlé que carecia de uma referência dessas.